Quadril

O que é?

Localizado na coxa, o fêmur é o osso mais extenso e pesado do corpo humano. Ele articula-se com o osso do quadril (osso ilíaco), com a tíbia, e com a patela. Além disso, o fêmur é composto por uma diáfise (osso compacto) e duas epífises, sendo elas a epífise proximal (formando o quadril) e a epífise distal (formando o joelho).
A principal função do fêmur é dar sustentação ao corpo e por possuir a camada externa intitulada de diáfise (ou osso compacto), as fraturas de fêmur acontecem com menor incidência, porém, quando ocorrem, são divididas entre proximal e distal.
A localização da fratura relacionada ao quadril, como a fratura do colo do fêmur, a fratura transtrocantérica, e a fratura subtrocantérica, é intitulada como fratura proximal. Já a fratura do fêmur relacionada ao joelho é intitulada como fratura de fêmur distal.

Quais as causas?

As fraturas no fêmur costumam ser mais comuns em pacientes idosos devido à perda de cálcio e pelo enfraquecimento natural dos ossos, que ocorrem durante quedas e acidentes domésticos. Já em pacientes mais jovens, elas acontecem em acidentes de grande impacto, como acidentes de carro, atropelamentos, ou quedas intensas.

Tipos de Fratura do Fêmur

Fratura do Colo do Fêmur

A fratura do colo do fêmur ocorre na parte superior do fêmur, e também é denominada como fratura do quadril. É um tipo de fratura mais comum em pacientes idosos e do sexo feminino, além de estar relacionada a casos de sedentarismo, tabagismo e alcoolismo, e osteoporose. A fratura do colo do fêmur causa limitação dos movimentos e dor intensa na região do quadril.

Fratura Transtrocantérica

A fratura transtrocantérica ocorre entre o pequeno e o grande trocânter. Os trocânteres são duas pequenas proeminências ósseas localizadas na parte superior do fêmur. O paciente que sofre a fratura transtrocantérica sente dor e tem limitação de movimentos. Na maioria dos casos será sugerida a intervenção cirúrgica para as fraturas que podem ser instáveis, ou estáveis.

Fratura Subtrocantérica

A fratura subtrocantérica acontece abaixo da região transtrocantérica e, diferentemente dessa região, apresenta uma menor vascularização, fazendo com que a consolidação das fraturas seja mais difícil. Assim como as duas outras fraturas de fêmur proximal, causam dor e limitação de movimentos e, em sua grande maioria, são tratadas com cirurgia. O tratamento não cirúrgico é recomendado apenas em casos nos quais o paciente apresente comorbidades clínicas que impeçam a realização da operação.

Quais os sintomas?

Os sintomas gerais das fraturas de fêmur proximal envolvem dor na região do quadril que pode se estender para a coxa e joelho, além de limitação parcial ou total dos movimentos da perna que teve o fêmur fraturado. Em casos no qual há fratura total do fêmur, há uma diferença de comprimento entre as pernas.

Como é determinado o diagnóstico?

Para diagnosticar a fratura do fêmur, o médico ortopedista especialista irá analisar o histórico do acidente narrado pelo paciente e, além disso, irá solicitar uma radiografia de quadril para identificar o local, o tipo de fratura, se existem fragmentos ósseos na região e se há outras fraturas. Caso necessário, uma tomografia computadorizada e uma ressonância magnética serão solicitadas como complemento ao diagnóstico.

Determinado o diagnóstico, qual o tratamento mais indicado?

Na maior parte dos casos, as fraturas de fêmur são tratadas com intervenção cirúrgica. Caso não haja complicações para o paciente, a cirurgia costuma ser realizada nas primeiras 48 horas após o acidente.

O médico especialista irá recuperar o fêmur fraturado com parafusos, pinos e placas. Já em casos mais graves pode haver a substituição da região fraturada por uma prótese artificial (artroplasia de quadril). A cirurgia de quadril tem a função de recuperar os movimentos da região. Em 90% das cirurgias o resultado é positivo.
Após a cirurgia, seja ela uma cirurgia de quadril, ou de outro tipo, o paciente irá passar por sessões de fisioterapia e será medicado para não sentir dor.

Prevenção

As fraturas de fêmur podem ser prevenidas, principalmente, em pacientes idosos. Dentre algumas medidas estão:

- Tomar sol diariamente para que o corpo absorva mais cálcio e fortaleça os ossos;

- Praticar exercícios leves, como a caminhada diária para que a reserva de massa óssea seja estável e para que haja menor risco de osteoporose;

- Fazer exercícios que envolvam a região do fêmur, como agachamentos e exercícios de fortalecimento dos músculos da coxa. Caso necessário, busque a ajuda de um profissional;

- Alimentar-se de maneira equilibrada e incluir alimentos ricos em cálcio na dieta.

Mais Informações

Nos quadros de fratura do fêmur, é possível que haja uso de medicação para aliviar a dor após a cirurgia, tanto para as cirurgias de aplicação de parafusos, pinos e placas, quanto para a cirurgia de quadril com prótese. Ao fraturar o fêmur, seja uma fratura do colo do fêmur; uma fratura transtrocantérica; ou uma fratura subtrocantérica, a primeira medida a ser tomada é consultar um médico especialista no assunto. Não tente cessar a dor sem a assistência de um profissional e evite qualquer tipo de automedicação.

Responsável Técnico

Dr. Soo B. Chung - CRM 44853
Ortopedia - Ombro / Mão
Cargo na clínica