Quadril

O que é?

Em diversas partes do nosso corpo como ombros, cotovelos, quadris, joelhos e calcâneos as nossas articulações são protegidas por um tecido muito semelhante a bolsas com conteúdo gelatinoso.

Elas são chamadas de bolsas sinoviais ou apenas de bursas e tem como principal função lubrificar, diminuir e amortecer o atrito dos nossos tendões, músculos e ossos.

No nosso quadril existem duas bursas que em um processo de inflamação causam a bursite trocantérica, ou como é popularmente chamada: bursite no quadril.

Causas

A circunstância mais recorrente para o surgimento da bursite é a prática de esforços repetitivos que cria um atrito na região lateral do quadril.

Nem sempre as causas da bursite são determinantes, mas atividades como longas caminhadas, ficar agachado, subir escadas ou levantar rápido depois de um longo período sentado pode ocasionar esse atrito exagerado e resultar em traumatismos e infecções nas articulações.

Grupo de risco

A bursite no quadril pode afetar qualquer pessoa, porém mulheres em torno dos 40 anos e idosas são as mais atingidas. Isso acontece pela predisposição a doenças ortopédicas na coluna vertebral como a escoliose, artrite na coluna lombar, artrose do joelho e entorse do tornozelo decorrentes do avanço da idade.

Outros fatores também têm ocasionado o desenvolvimento da patologia como a obesidade ou lesões que forcem a pressão da cartilagem do quadril. Em pessoas mais jovens, a prática de atividade física constante, esforços repetitivos ou uma rotina em que a pessoa fique muito tempo em pé pode irritar as bolsas sinoviais.

Pessoas com desigualdade no comprimento da perna ou que possuem um histórico de cirurgia para implantação de prótese estão suscetíveis.

Sintomas

A dor no quadril é o principal sintoma da bursite trocantérica. Em seu estado inicial o paciente sente apenas um ponto dolorido semelhante a uma queimação para fora da área da coxa, mas com o passar dos dias essa inflamação localizada se estende e aumenta a escala de incômodo por toda a região do quadril.

Durante a noite, com o corpo mais relaxado é possível sentir mais dor, principalmente se a pessoa deitar sobre o quadril. A maioria dos pacientes relata ter o sono afetado pela dor intensa e aguda.

Diagnóstico

Em casa para tentar amenizar a dor, o paciente pode fazer compressas de gelo sobre a lateral do quadril por cerca de 20 minutos a cada 3 horas e usar protetores de quadril (chamados de coxins) para não apoiar a região afetada diretamente em superfícies duras. Mas para uma identificação rápida e um diagnóstico correto é importante que o paciente ao perceber algum dos sintomas acima não faça mais nenhuma atividade que force a região dolorida e procure um médico, de preferência um ortopedista e/ou traumatologista.

Esse especialista fará exames físicos e testes clínicos a procura de pontos de sensibilidade no quadril. Ele também poderá solicitar exames de imagem como radiologias do quadril e bacia, ultrassonografia e ressonância magnética.

Tratamento

Os tratamentos mais comuns e eficazes para bursite no quadril são focados na redução da inflamação na área, são tratamentos eficazes e não cirúrgicos.

Inicialmente só a mudança na postura e hábitos repetitivos pode acabar com a irritabilidade da bursa. Também pode ser feita a prescrição de medicamento anti-inflamatório não esteroide, ele reduz o processo de inflamação e alivia a dor rapidamente. Mas devido seus efeitos colaterais, deve ter seu uso limitado e controlado para não prejudicar outros órgãos e nem o funcionamento do próprio organismo.

O médico também pode indicar o uso de muletas para aliviar a dor juntamente com o tratamento fisioterápico, que terá como objetivo reequilibrar, fortalecer e alongar toda a musculatura do quadril e coluna.

A aplicação de impulso por onda de choque também pode ser receitada pelo especialista para uma melhor cicatrização do tecido gelatinoso afetado.

Apenas em casos onde todos os tratamentos convencionais citados não surtirem efeito, é necessária a cirurgia. O procedimento cirúrgico é bem simples e a remoção da bursa é indolor e não atrapalha o funcionamento correto do quadril.

Existem duas formas de se fazer a retirada da bursa: a cirurgia tradicional, chamada de aberta, onde há o corte até a chegada no local inflamado e a videoartroscopia (endoscopia) que é menos invasiva e feita apenas através de furos na pele.

Ambas as cirurgias são feitas de forma ambulatorial e o paciente recebe alta no mesmo dia.

Informações de recuperação e pós-operatório

O pós-operatório da videoartroscopia cirurgia é mais rápido e menos doloroso mas das duas formas a recuperação do paciente ocorre em um curto período do qual fará o uso bengalas ou muletas. Durante a recuperação é indicada a visita regular a sessões de fisioterapia por cerca de 30 a 60 dias.

Prevenção

A melhor forma de evitar bursite no quadril é buscar uma melhora na qualidade de vida combatendo a obesidade, evitando pressões nas articulações, corrigindo hábitos posturais, fazendo uso de palmilhas em casos de discrepância de membros inferiores e fortalecendo a flexibilidade dos músculos de forma saudável para evitar lesões e doenças ortopédicas na velhice.

Responsável Técnico

Dr. Soo B. Chung - CRM 44853
Ortopedia - Ombro / Mão
Cargo na clínica