O que é?

Os dedos dos pés são formados por ossos denominados de falanges distal (ponta do dedo), média e proximal (base do dedo). O hálux (dedão) é o único que é formado somente pelas falanges distal e proximal.

As fraturas e traumas nos dedos dos pés são lesões que podem ocorrer em um ou mais dedos dos pés sem afetar os metatarsos, que são os ossos que formam a parte anterior aos dedos do pé. Essas lesões podem vir acompanhadas ou não de ferimentos como também podem causar ou não deformidades.

Al os traumas podem ocorrer na forma de entorses, contusão, sub-luxação e luxação. A fratura que ocorre com mais freqüência é a de falange proximal e a mais grave é a do hálux, pois pode impedir que o indivíduo caminhe.

As fraturas e traumas podem ser consideradas como estáveis quando não há o desvio articular e instáveis quando há o deslocamento dos ossos que formam a articulação, como quando ocorre no caso de luxação do dedo do pé.

Quais as causas?

As fraturas e traumas nos dedos dos pés podem ser causadas por trauma direto, como a queda de um objeto sobre o dedo ou o choque do dedo contra um objeto, como as topadas contra a cama, sofá, mesa etc.

Elas também podem ser causadas pelo estresse causado pelo esforço repetitivo e pelo uso excessivo. Esse tipo de trauma ocorre principalmente em atletas que praticam esportes de alto impacto, como corridas de longa duração e distância, jogadores de futebol, entre outras.

Qual é o grupo de risco?

Apesar de homens e mulheres poderem sofrer lesões ou traumas nos dedos dos pés, esses casos são mais freqüentes nos homens.

Os atletas e praticantes de esportes de alto impacto correm um risco maior devido ao uso em excesso e ao esforço repetitivo.

Quais os sintomas?

O sintoma mais característico é a dor no dedo do pé. O dedo pode ficar arroxeado e apresentar inchaço. Em alguns casos o paciente pode apresentar um hematoma subunguial, que é o sangramento embaixo da unha.

Na grande maioria dos casos o paciente apresenta dificuldades para caminhar e para calçar sapatos fechados.

Pode ocorrer também uma deformidade no dedo afetado.

Como é determinado o diagnóstico?

O diagnóstico deve ser realizado primeiramente com base na história clínica do paciente, que deve informar ao médico quando e como ocorreu o incidente que causou o trauma, quais sintomas vêm apresentando, se é praticante de esportes de alto impacto e se apresenta lesões prévias ou outras doenças que também podem levar à dor no pé, como a fascite plantar.

Ao exame físico, o médico deverá avaliar a região de queixa de dor e comparar o pé afetado com o pé normal para identificar a presença de possíveis lesões nos ossos, tendões e nervos. O médico também deve ficar atento para a possibilidade de outras lesões como o entorse de tornozelo, que leva à dificuldade ao caminhar assim como ocorre nos casos do dedo do pé quebrado.

Para se ter um diagnóstico preciso o médico poderá solicitar a realização do exame de raio-x.

Determinado o diagnóstico, qual o tratamento mais indicado?

Em geral, para o tratamento de fraturas e traumas nos dedos dos pés é indicado o uso de analgésicos e antiinflamatórios para a melhora do quadro de dor, além da aplicação de gelo compressas de gelo sobre o local.

Nos primeiros dias após a lesão é recomendado o repouso do pé com a elevação do mesmo.

Quando a fratura ocorrer no hálux, o pé todo deve ser imobilizado por 2 a 3 semanas com um calçado de solado rígido, conhecido como sandália de Baruk, evitando assim o apoio sobre a região.

Nos casos de fraturas estáveis deve ser realizada a imobilização por esparadrapagem, onde o dedo lesionado é imobilizado juntamente com o dedo que se localizar ao lado.

Já nos casos onde houver luxação e fraturas instáveis o médico pode realizar o procedimento de redução incruenta com anestesia, através de tração para alinhamento ósseo.

Se a redução for instável pode haver a necessidade de se realizar a fixação com fios de Kirschner e parafusos.

Em geral o tempo de recuperação pode variar de 6 a 8 semanas, mas isso vai depender do local e da extensão da lesão. Além disso, o processo de tratamento deve ser monitorado através de exames de raio-x.

A cirurgia raramente é solicitada e tem como objetivo promover o alinhamento ósseo, promovendo o retorno precoce da mobilidade.

Responsável Técnico

Dr. Soo B. Chung - CRM 44853
Ortopedia - Ombro / Mão
Cargo na clínica