O que é

Um dos problemas mais incômodos para atletas que realizam as chamadas “atividades de impacto repetido” é a famosa canelite. Conhecida também por periostite da tíbia ou periostite tibial, o problema é uma inflamação do osso da canela, da tíbia, de seus tendões ou músculos.

Sua principal característica é uma dor constante e incômoda na canela que, normalmente, fica mais intensa durante a prática de alguma atividade física. Como citado, atletas que fazem sempre o mesmo tipo de movimentos estão mais sujeitos a desenvolver a condição. Podemos citar como exemplo jogadores de futebol, corredores, tenistas e jogadores de basquete. Em casos ignorados, a periostite da tíbia pode evoluir para uma fratura por estresse.

Causas e Prevenção

Entre as principais causas que levam um atleta a ter canelite, vale destacar três: excesso de carga (ou excesso de exercícios), técnica errada e anomalias.

O primeiro problema, o excesso de carga, é caracterizado pelo esforço excessivo do atleta. Aumentar repentinamente o peso em alguma atividade e/ou treinar por mais tempo que o recomendado pode resultar em inflamação e, posteriormente, surgimento da periostite tibial.

A ideia para evitar que o problema surja é a de respeitar o programa de treinamento, seja de carga, ou de tempo. Seguir a orientação do treinador e parar quando sentir incômodo é fundamental para evitar que a canelite apareça, afinal, é melhor parar a atividade na hora do que parar por mais tempo, caso seja necessário fazer algum tratamento para corrigir a canelite.

A segunda causa citada (a da técnica errada) tem muito a ver em como o atleta está trabalhando sua modalidade. Entender qual é o tipo de pisada, utilizar equipamentos corretos e praticar os movimentos da maneira mais adequada possível são medidas fundamentais para evitar que o corpo sofra com efeitos colaterais. Para evitar esse problema o ideal é procurar um ortopedista, expor qual sua ideia de atividade física e seguir as orientações de equipamento orientadas pelo médico.

Por fim, a última causa fica por conta de anomalias naturais que o corpo humano pode vir a apresentar como, por exemplo, uma pisada pronada (quando os pés são naturalmente curvados para dentro), fazendo com que a chance de desenvolver uma periostite tibial aparecer seja maior.

A síndrome do pé chato é outro problema que facilita o surgimento do problema. Nesse caso, assim como no supracitado, a procura por um ortopedista é fundamental. E é importante não praticar uma atividade sem um calçado correto, tanto para evitar a canelite, quanto para evitar outras possíveis alterações ou traumas.

Sintomas

Os principais sintomas da periostite tibial são:

- Sensibilidade e dores no meio da canela;

- Dificuldade de caminhar;

- Dor na canela após a realização do exercício;

- Inchaço na região.

Diagnóstico

O diagnóstico da canelite precisa ser feito por um ortopedista. Ele pedirá exames para avaliar o tipo de pisada e conversará com o paciente sobre sua rotina, buscando entender quais são as atividades realizadas, identificando assim onde está a causa que contribuiu para o surgimento do problema.

É possível que o médico responsável solicite um exame de raio-X, buscando descartar fraturas ou micro fraturas nos ossos da perna. É possível que, em casos de dores extremas, o médico recomende anti-inflamatórios para diminuir o sintoma.

Tratamento

Os principais tipos de tratamento para as pessoas que sofrem de canelite envolvem a suspensão dos treinos, a realização de alongamentos e aquecimento, e a redução da carga utilizada.

O repouso é recomendado para ajudar a diminuir o impacto da inflamação nas atividades do dia a dia. Quando as dores desaparecerem e após uma segunda consulta ao ortopedista, o recomendado é que a pessoa pratique alongamento nas pernas e faça pequenos aquecimentos antes de começar a atividade física.

Por fim, em casos um pouco mais extremos, o ideal é que os pesos sejam reduzidos para evitar que a canelite evolua para uma fratura por estresse, além de ajudar o corpo a entender as cargas, isso faz com que o paciente possa evoluir aos poucos sem que a periostite da tíbia volte a atacar.

Mais informações

A canelite é um problema de fácil solução, mas que não pode ser subestimado. Como citado anteriormente, caso a enfermidade não seja tratada, ela pode evoluir para uma fratura por estresse, o que aumentará o tempo de recuperação do paciente.

A ideia é seguir a recomendação do médico e evitar as atividades físicas ou, quando for o caso, diminuir a carga e o tempo dos exercícios, buscando uma recuperação plena e sem possibilidades de recidivas.

Responsável Técnico

Dr. Soo B. Chung - CRM 44853
Ortopedia - Ombro / Mão
Cargo na clínica