Mão

O que são as lesões dos tendões flexores?

Em geral, qualquer lesão traumática nos dedos, mão, punho e antebraço pode cortar os tendões flexores (que são as estruturas mais importantes nos dedos, encarregadas de realizar a flexão deles), daí se origina a lesão dos tendões flexores, que também é conhecida como lesão tendinosa na mão. A estrutura de um tendão liga músculos e ossos, e o mais importante: Quando um músculo se contrai, os tendões levam a força praticada nos ossos, movimentando as articulações.

Um tendão flexor lesado no antebraço, no punho, na palma da mão, ou ao longo do dedo, pode fazer com que seja impossível dobrar a articulação.

Muito parecidos com um elástico, os tendões estão sob tensão, e quando são separados completamente por conta de um corte, acabam se afastando completamente, fato que impossibilita a cicatrização.

Quais as causas?

Cortes profundos durante atividades diárias, como atividades com facas na cozinha ou cacos de vidro, em atividades esportivas de grande impacto, tais como handebol, rugby, lutas ou artes maciais, em todos esses casos, podem ocorrer uma lesão do tipo. Contudo, doenças como artrose também podem ocasionar a ruptura dos tendões (esses casos são mais comuns na terceira idade).

Quais os sintomas para lesão nos tendões flexores?

É muito comum que os pacientes apresentem ruptura dos tendões por conta de um ferimento profundo nos dedos (em casos menos comuns, esses cortes podem ocorrer em mais que apenas um dedo ou em ambas as mãos).

Contudo, os sintomas mais apresentados pelos pacientes são: Dor intensa no local lesionado (que varia conforme a gravidade), hipersensibilidade, articulação travada e dormência na região afetada

Certo, e como é feito o diagnóstico?

O exame clínico, físico e histórico do paciente ajudam o médico a entender o caso e se aproximar de um completo diagnóstico. É bem provável que o médico peça exames como uma radiografia para verificar se houve lesão óssea ou uma Ultrassonografia para verifica as articulações e seus componentes.

Quais os tipos de tratamento?

Existem vários tipos de tratamento para lesão tendinosa da mão, indo desde o tratamento conservador (indicado para os casos menos graves, quando a cirurgia não for necessária) até o tratamento cirúrgico. Para o tratamento conservador, o médico ortopedista pode receitar analgésicos, anti-inflamatórios, a aplicação de gelo na região afetada, imobilização por meio de uma tala ortopédica, repouso e afastamento das atividades rotineiras, além de fisioterapia moderada.

No caso do tratamento cirúrgico, ele é indicado para casos mais graves de ruptura dos tendões e deve ser realizado o mais brevemente possível. Vários procedimentos cirúrgicos podem ser indicados de acordo com a gravidade, se for uma ferida grande, a cirurgia pode ser um pouco complexa e demandar um pouco mais de tempo.

No caso de uma ferida pequena ou lesão completa interna (comum com idosos), a artroscopia é recomendada (ela é um procedimento simples e minimamente invasivo, contando com a abertura de três pequenos cortes para incisão de uma pequena câmera e duas hastes metálicas), contudo, para o tendão lesionado no dedo, ainda não é possível realizar artroscopia. Lembrando que ambas as técnicas necessitam de anestesia e deve ser quase sempre geral.

Informações de tratamento e pós-operatórias

Para a completa reabilitação, no caso de cirurgia, o processo todo leva de dois a três meses, dependendo do grau de recuperação do paciente. De acordo com as recomendações médicas, fisioterapia leve ou moderada pode se fazer necessária para reforçar os músculos, assim como repouso pós-operatório, imobilização do membro lesionado e analgésicos ou anti-inflamatórios.

Para os casos de lesão parcial que não demandem cirurgia, apenas o tratamento conservador será necessário, e a completa reabilitação pode levar de um a dois meses. No mais, repouso e cuidado com os membros lesionados devem ser mantidos.

Responsável Técnico

Dr. Soo B. Chung - CRM 44853
Ortopedia - Ombro / Mão
Cargo na clínica