Joelho

O que é a Luxação Patelar?

A patela, também conhecida como rótula, é um osso móvel e em formato triangular que fica na parte da frente do joelho. Esse osso é ‘conectado’ ao fêmur e tem a função de proteger todas as estruturas internas da articulação, tanto com o a perna esticada, como com o joelho dobrado. Quando a patela sai da sua posição correta e se desarticula do sulco femoral (fêmur) acontece a Luxação Patelar.

A Luxação da Patela é rara, mas em alguns pacientes pode se tornar uma condição recorrente ou, como é comumente chamada, recidivante.

Quais as causas?

Apesar da lesão não ser tão comum, algumas diferentes causas podem resultar na Luxação Patelar. Entre elas estão situações de predisposição, ou seja, condições que o paciente já possui e que podem resultar na luxação.

O joelho valgo é um dos fatores de risco de deslocamento da patela. Nesses casos, a pessoa tem as pernas em formato de X (os joelhos ficam unidos e os pés afastados) e a patela fica mais suscetível à luxação. O mesmo ocorre quando os músculos que ajudam a sustentar a região são fracos, como no caso do vasto medial oblíquo – músculo do quadríceps – ou quando há algum dano no ligamento do local. Além disso, é comum que a patela alta também seja causadora de lesões recorrentes. Nesses casos, o osso é mais alto, mais projetado, do que o normal.

Todas essas causas citadas acima compõe a chamada instabilidade femoropatelar. Numa linguagem mais simples, essas situações fazem com que o local esteja desprotegido, sem reforço e vulnerável para ‘sofrer’ a Luxação da Patela.

Mas também é possível luxar a rótula por conta de um trauma. Alguns exemplos: uma bolada muito forte no local, uma queda com torção do joelho, um exercício físico mal realizado, entre outros.

A literatura médica mostra que as mulheres apresentam a maioria dos casos de Luxação Patelar, especialmente se tiverem as características de instabilidade femoropatelar.

Quais os sintomas?

A dor no joelho é um dos sintomas instantâneos de uma Luxação de Patela. Em geral, é uma dor exatamente no “osso”, uma dor na patela e ao redor da mesma, incapacitante e forte.

Em muitos casos é possível ver o deslocamento do osso a olho nu. Esse sintoma costuma ser acompanhado de inchaço em todo o joelho.

Outro sintoma é a perda de mobilidade da articulação. A pessoa fica incapacitada de realizar os movimentos de dobrar e esticar a perna e, se conseguir, sente extrema dor.

Diagnóstico

Um bom médico especialista é capaz de suspeitar do diagnóstico avaliando os sintomas, o histórico do paciente e realizando um exame clínico.

É comum que seja solicitada uma radiografia para confirmar a Luxação Patelar, avaliar os danos e descartar lesões associadas ou que possuem sintomas semelhantes, como a Luxação do Ligamento Cruzado Anterior.

Como tratar a Luxação Patelar?

O primeiro passo para tratar uma Luxação Patelar é recolocar o osso no lugar. O processo ajuda a aliviar a dor e o desconforto, mas é apenas o início do tratamento. A Luxação Patelar desestabiliza toda a articulação do joelho, afinal sua proteção foi afetada.

Por isso, nos casos únicos (primeira luxação), o mais comum é mobilizar a região e permanecer em repouso. Durante esse tempo, o paciente pode fazer usos de medicamentos indicados pelo especialista, bem como aplicação de gelo para ajudar na diminuição do inchaço.

Depois disso, o importante é fortalecer a região. Músculos, ligamentos e todas as estruturas precisam estar fortes e preparadas para retornar às atividades reduzindo ao máximo o risco de uma nova lesão. Uma articulação forte tem bem menos chances de se desestabilizar. Aqui entra a fisioterapia e outros exercícios liberados pelo médico.

Os casos recidivantes são um pouco mais complicados e requerem mais atenção. Em geral, se o paciente sofreu mais de uma Luxação Patelar é sinal de que existe algum fator de instabilidade femoropatelar. Para descobrir o que está causando as lesões, o médico deve realizar diversos exames e investigar qual a causa.

Nessas situações é comum que haja encaminhamento cirúrgico para evitar que a instabilidade transforme o joelho em uma bomba-relógio de lesões, não só de Luxação Patelar, mas de outros danos, como fraturas. Uma das técnicas mais utilizadas nesses casos sé a Artroscopia de Joelho, justamente por ser pouco invasiva para o paciente.

Prevenção

A fisioterapia ajuda na recuperação, mas é importante lembrar-se de cuidar sempre do joelho, não só após uma Luxação Patelar. Fazer exercício físico com acompanhamento profissional é o melhor método de tornar a articulação forte e preparada.

Procure um médico e informe-se sobre as melhores atividades para manter o seu corpo saudável e protegido.

Responsável Técnico

Dr. Soo B. Chung - CRM 44853
Ortopedia - Ombro / Mão
Cargo na clínica