Coluna


O processo de envelhecimento do corpo humano é natural e quando o assunto é a parte óssea, é preciso se atentar às curvaturas da coluna vertebral, que englobam as partes cervical, torácica, lombar e pélvica. Esse envelhecimento pode estar associado, direta ou indiretamente à outras alterações na região, tais como osteoporose na coluna, hérnia de disco e ciática.

Alguns membros da comunidade médica estimam que a chance de qualquer paciente ao longo da vida sentir dor na coluna é de 90% sendo que, desse número, 40% a 50% da população irá sofrer com os sintomas de maneira repetitiva.

Com o tempo, a anatomia da coluna vai mudando, perdendo a elasticidade e a capacidade de absorver energia, estando exposta à inúmeras patologias típicas dessa região do corpo. Para tentar evitar essas alterações, sugere-se que o paciente cuide do corpo tendo hábitos de vida saudáveis. Isso poderá fazer com que esses problemas sejam evitados, proporcionando um envelhecimento mais confortável.

Não sobrecarregar a região com excesso de peso, por exemplo, pode evitar dor na coluna, assim como praticar exercícios de maneira moderada pode ser um agente preventivo para qualquer enfermidade que afete o local. Manter a musculatura sempre forte também é uma alternativa para evitar dor nas costas, afinal, não é só a coluna que envelhece, mas também os músculos e ligamentos.

É importante saber que o sintoma de dor na coluna pode ser um indicativo para outros problemas. Má postura, desvios da coluna e hérnia são apenas alguns exemplos de enfermidades que podem fazer com que o paciente sinta dor e dificuldade de se movimentar. Em caso de aparecimento de dor na coluna o ideal é procurar um médico especialista – um ortopedista – para que ele diga qual a causa da dor: seja ela relacionada ao envelhecimento da coluna, ou a algum outro problema de maior ou menor grau.

Dentre os exames que costumam ser solicitados para verificar alterações na coluna cervical estão a radiografia, a tomografia computadorizada e a ressonância magnética. Enquanto a radiografia é adequada para mostrar as vértebras e as facetas articulares, a tomografia computadorizada mostra a coluna de maneira seccionada, sendo útil para analisar o canal medular. Já a ressonância magnética permite avaliar de maneira ainda mais aprofundada a região, sendo capaz de mostrar tumores, desgastes e até infecções na coluna vertebral.

Na maioria dos casos relacionados ao envelhecimento da coluna, a fisioterapia costuma ser recomendada. O tratamento pode envolver várias sessões, com exercícios específicos para esse tipo de anomalia e o acompanhamento constante de um profissional. Esses exercícios irão auxiliar o paciente a ter sua rotina de volta, com cada vez menos incômodos e mais qualidade de vida.

A fisioterapia, além de ser o tratamento mais recomendado e efetivo para o envelhecimento da coluna, faz com que não haja necessidade de uma intervenção cirúrgica. Claro que, quando a origem da dor não é o envelhecimento da coluna, o médico pode optar por uma cirurgia, dependendo da gravidade da enfermidade e da dor que o paciente sente, porém esse tipo de procedimento costuma ser evitado.

O diagnóstico do médico ainda pode apontar para outros problemas posturais que, em alguns casos, podem ser solucionados com a ajuda de outra técnica: a de reabilitação postural global (RPG), capaz de mudar os hábitos dos pacientes para melhorar sua postura diária.

Uma recomendação muito importante dada pelos médicos é a de nunca se automedicar, ou seja, tomar remédios que diminuam a dor sem a consulta de um especialista. A automedicação pode esconder sintomas importantes de algumas doenças e prejudicar o paciente no futuro, afinal, os sinais dados pelo corpo serão ignorados e a doença terá mais tempo para se desenvolver dentro do organismo do paciente.

Responsável Técnico

Dr. Soo B. Chung - CRM 44853
Ortopedia - Ombro / Mão
Cargo na clínica