Coluna

O que é?

A cervicalgia ou dor cervical é uma condição dolorosa localizada no pescoço, principalmente na parte de trás, afeta homens e mulheres em todas as idades e é considerada um dos quadros de dor mais freqüentes na prática médica.

Essa dor dificilmente aparece de forma súbita e pode ser causada por vários fatores como má postura e traumas. A dor no pescoço pode ser considerada como aguda quando tem duração inferior a três meses, ou crônica quando o quadro de dor é igual ou superior a três meses. O quadro de dor pode melhorar após o estado de repouso e piora com a movimentação do pescoço.

Quais as causas?

Apesar da cervicalgia não ter uma causa aparente, diversos fatores podem levar ao surgimento da dor. Uma das principais causas são os traumas, que podem ocasionar uma lesão muscular ou ligamentar, além de poder haver fraturas e luxações de vértebras, levando a um quadro de dor no pescoço.

A realização de movimentos bruscos com o pescoço e fatores relacionados à postura como permanecer por longos períodos em posição forçada e esforço físico, podem provocar um torcicolo o que leva à cervicalgia. Além disso, questões de ordem psicológica como depressão e ansiedade podem contribuir para um quadro de tensão, o que pode ocasionar a dor no pescoço.

Outras doenças como hérnia de disco, artrose na coluna, alterações de ATM (articulação têmporo-mandibular), infecções e tumores também podem levar a quadros de cervicalgia.

Qual é o grupo de risco?

Fazem parte do grupo de risco homens e mulheres em qualquer idade. Os idosos podem ser acometidos em decorrência do desgaste (envelhecimento) natural da coluna cervical.

Outro grupo que pode apresentar um quadro de cervicalgia são os trabalhadores braçais e indivíduos que trabalham com atividades de digitação, por exemplo, que em sua grande maioria apresentam vícios posturais como posicionar o pescoço mais a frente do tronco por longos períodos, forçando a musculatura do pescoço e a coluna.

Indivíduos tensos, que apresentam estresse, ansiedade e depressão também fazem parte do grupo de risco.

Quais os sintomas?

O principal sintoma relatado é a dor na parte posterior do pescoço. Dependendo da intensidade e duração essa dor pode até se estender para os ombros, cabeça e braços.

O paciente pode apresentar quadros de espasmo muscular, cefaléia (dor de cabeça) e rigidez no pescoço, o que limita a movimentação do pescoço.

Como é determinado o diagnóstico?

O diagnóstico deve ser realizado pelo médico ortopedista e consiste no exame clínico.

No exame clínico o médico deve se atentar às informações do histórico atual e passado do paciente, dos antecedentes familiares e também dos hábitos do paciente, como prática de atividades físicas e tipo de trabalho exercido. Essas informações são importantes para se determinar qual a possível causa da cervicalgia.

Durante o exame clínico também deve ser realizado o exame físico, onde são realizadas a palpação do local como também manobras de movimentação tanto ativa quanto passiva do pescoço.

Além disso, o médico pode solicitar exames de imagem como raio-X, tomografia computadorizada e ressonância magnética para avaliar possíveis lesões das estruturas do pescoço. Exames laboratoriais também podem ser solicitados com a finalidade de se identificar possíveis quadros infecciosos ou tumorais que possam provocar dor no pescoço.

Os resultados dos exames laboratoriais e de imagem devem ser avaliados em conjunto com os dados do histórico do paciente bem como os sintomas relatados para se definir um diagnóstico preciso.

Determinado o diagnóstico, qual o tratamento mais indicado?

Nos casos onde a cervicalgia for aguda e não for de origem traumática ou não houver comprometimento neurológico, o tratamento mais indicado consiste na prescrição de antiinflamatórios, analgésicos e relaxantes musculares para a melhora do quadro inflamatório e de dor.

Também podem ser indicados tratamentos fisioterápicos manuais e por tração e RPG (reeducação postural global). Exercícios de alongamento e fortalecimento da musculatura cervical, assim como a acupuntura, podem auxiliar na melhora do quadro de dor.

Nos casos onde a cervicalgia seja causada por trauma e se houver juntamente uma instabilidade do pescoço, pode ser indicado o uso de colar cervical.

O tratamento cirúrgico só é indicado nos casos onde a cervicalgia tiver como causas a hérnia de disco (onde não houve melhora mesmo após tratamento clínico), em alguns casos de trauma, tumores e outras alterações que possam levar à compressão de nervos e como consequência causam a dor.

Responsável Técnico

Dr. Soo B. Chung - CRM 44853
Ortopedia - Ombro / Mão
Cargo na clínica