Artigos

É inevitável que acidentes aconteçam. Cair ao correr, andar, limpando a casa, etc são fatos inerentes à nossa rotina. O grande problema é o que fazer para evitar ao máximo que isso aconteça e o que fazer se acontecer. Confiram com a gente algumas dicas essenciais para não piorar os resultados de uma queda.

Um dos locais mais perigosos para se cair são as nossas residências. Palco dos nossos maiores confortos, o lugar também é recheado de armadilhas que precisam de atenção, para evitar que graves acidentes aconteçam. E são várias as possibilidades de acidente: fios soltos, tapetes mal fixados, mesas de centro, banheiros úmidos, tentar pegar alguma coisa em estantes com o auxílio de escadas, etc.

Para as pessoas de mais idade, então, o perigo é ainda maior, tendo em vista que qualquer problema de saúde leva bem mais tempo de recuperação. E, a solução para evitar que esse tipo de acidente faça parte da nossa rotina ou aconteça na nossa família, é bastante simples.

O primeiro passo para evitar esse tipo de problema é manter a casa sempre organizada. Fixar os tapetes no chão, organizar bem os fios para que eles não fiquem soltos, prestar atenção ao caminhar pela casa, deixar os objetos mais utilizados no dia-a-dia em locais de fácil acesso (sem precisar ficar subindo em escadas e mexendo em estantes altas), tomar cuidado extra ao limpar ambientes com o banheiro (fácil de escorregar), etc.

Esses pequenos cuidados, apesar de parecerem simples, ajudarão a evitar acidentes complexos e que, se forem sérios, precisarão de um longo tempo de recuperação.

Mesmo Com Tudo isso, o acidente aconteceu... E agora?

A primeira coisa a se fazer caso se presencie uma queda é ter calma e observar a pessoa caída e entender qual a situação dela. Caso, por exemplo, ela esteja sentindo problemas nos braços ou pernas, é preciso manter a região imobilizada.

É totalmente errado tentar “colocar” o osso no lugar, afinal, não dispomos de nenhum recurso para saber se houve uma luxação, fratura ou foi só o trauma da queda, portanto, o recomendado é colocar alguma tala, para evitar inchaços ou problemas maiores e esperar ajuda médica.

Caso a queda seja grave e o paciente não consiga se movimentar ou levantar, o ideal é mantê-lo na posição, seja em que lugar for. Se o acidente acontece, por exemplo, na rua, a ideia é fazer com que o trânsito pare, a área seja isolada e que aconteça a espera de uma equipe especializada. Em situações ainda mais adversas, com a presença de ferimentos e sangue, a orientação fica por conta de limpar o local com água corrente e cobri-lo com material higienizado.

Caso o corte seja grande e, por consequência, o sangramento também, os especialistas recomendam que uma compressão seja feita, apenas para estancar o sangramento. Esses primeiros cuidados são fundamentais para evitar que o problema se torne ainda mais grave e o paciente sofra com alguma sequela no futuro.

As Fraturas e Os Seus Tipos

Como em qualquer outra situação, as fraturas possuem suas particularidades, sendo que cada tipo de problema necessita de um tratamento e de uma atenção específica. A fratura na mão e a fratura no punho, por exemplo, que possuem bastante vascularização e, muitas vezes, apenas “colocar no lugar” e imobilizar, processo feito por um ortopedista, resolvem a situação.

Quando o problema acontece nos membros inferiores, como a fratura no quadril, o cuidado e o processo de recuperação são consideravelmente mais complexos, afinal, esse osso dificilmente se recupera sozinho e, muitas vezes, são necessários procedimentos cirúrgicos para reconstrução e, até mesmo, colocar algum tipo de material sintético para compor as áreas mais afetadas.

Se o problema acontecer no fêmur e no pé, a preocupação é ainda maior. Afinal, os ossos são muito porosos e, em vários casos, é preciso “desamassar” o osso e coloca-lo no lugar correto para que a recuperação possa acontecer de maneira plena.

Em todos os casos de queda, quando há dores ou problemas com alguma parte do corpo, é fundamental procurar ajuda especializada de um ortopedista. Ele fará exames de imagem, testes mecânicos e fará de tudo para compreender o problema e propor as soluções plausíveis.

Em casos da utilização de gesso, botas e muletas, é importante seguir os tratamentos à risca para evitar cicatrizações ruins, sequelas ou que o processo seja falho. Fazer as sessões de fisioterapia e seguir as recomendações para voltar, aos poucos, para as atividades também é importante em todo o processo.

Responsável Técnico

Dr. Soo B. Chung - CRM 44853
Ortopedia - Ombro / Mão
Cargo na clínica